segunda-feira, 31 de março de 2014

A Recuperação da Dependência Química


O consumo e o tráfico de drogas é um dos males que, mas assusta o mundo atual. Apesar de ser tão antigo quanto às primeiras civilizações. Na sociedade do século XXI, o uso, entre os adeptos, geralmente se inicia na juventude, a partir de uma tentativa, por parte do jovem, de ser aceito em sua tribo de afinidades. 

Frequentemente relacionado ao estilo de vestir e ao gosto musical, o consumo de substâncias químicas é defendido, por alguns usuários, como um modo de viver; uma forma de protestar contra o sistema e a favor de uma nova ordem social. A partir do uso descontrolado, surgem os problemas relacionados à dependência. O comportamento antissocial, a obsessão espiritual, a loucura psíquica, o descuido com a higiene e saúde, o declínio no rendimento escolar, a não durabilidade nos empregos, e, consequentemente, a marginalização social. 

Neste contexto, surgem algumas alternativas ao tratamento e à libertação. A adicção pode ser tratada de inúmeras formas. Desde a conversa com os pais, à consulta com psiquiatras e psicólogos. Do uso de medicamentos à internação médica. Dos grupos de autoajuda à terapia ocupacional.

Investir no trabalho, nos estudos e praticar uma atividade física, é diferencias no tratamento. Assim como trabalhar a espiritualidade e construir relacionamentos construtivos com não usuários. Ainda podemos somar, a estes recursos, as artes e o uso da internet como alternativa. Interagir virtualmente nas mídias sociais e produzir conteúdo vêm se tornando uma nova alternativa à superação deste problema comum em nosso tempo.

Contudo, a iniciativa te de partir do usuário. A consciência e o desejo são os fatores chave do sucesso da recuperação, que se resume em uma mudança drástica de comportamento. Parte da decisão e atitude de nunca mais usar nada. E, na grande maioria dos casos, isto inclui cortar o álcool e a vida boêmia em geral.

J.P.D.

domingo, 30 de março de 2014

Seres Complexos e a Nova Era


Estamos inaugurando uma Nova Era. Chegamos ao fim da era dos dualismos. O bem e o mal; O certo e o errado; O céu e o inferno. Enfim, emerge a terceira pessoa da trindade. A comunhão daquilo que antes percebíamos separado. O dualismo do corpo e alma; do físico e do espiritual; agora são acrescidos do virtual. O virtual é um universo paralelo. Da mesma forma, percebemos o indivíduo de uma forma composta e plural. Uma comunhão de subjetividades distintas. Estes e outros temas, são debatidos no vídeo acima.


J.P.D.

sábado, 29 de março de 2014

Curta Nossas Fanpages !





Clique nas imagens acima pra entrar nas Fanpages

sexta-feira, 28 de março de 2014

Prossumers Web Radio - Brazilian Rock



Músicas do programa

Raimundos - Puteiro em João Pessoa
Cascaveletes - Entra nessa
Cachorro Grande - Debaixo do chapéu
Júpiter Aple - Lugar do caralho
Raul Seixas - Cowboy fora da lei
Mutantes - Él Justiciero

Produção: Prossumers Multimídia
Apresentação: Juliano Dornelles

quinta-feira, 27 de março de 2014

Significância


Buscamos significados significantes. O senso comum nem sempre é coletivo. Normalmente é apenas uma visão particular de um grupo dominante. De uma maioria minoritária ou de uma minoria maioritária. O duplo sentido, o sentido contrário, o sentido vazio e o sem sentido, comungam em coexistência. Enfim, tudo faz sentido de acordo com a visão relativa do referencial. Mesmo que de forma codificada e incompreendida. Sim; Há um sentido por trás do sentido. Onde confundir, às vezes, é a melhor maneira de explicar. Há momentos em que frases soltas dizem mais do que amarrações perfeitas. Em um universo onde o descontextualizado complementa o contexto. E o óbvio, frequentemente, passa despercebido.


J.P.D.

quarta-feira, 26 de março de 2014

Acreditar


A magia e a ciência têm princípios distintos, embora sejam essenciais como complemento à construção do ser. Se, de um lado, as religiões alimentam a crença no desconhecido, de outro lado, a ciência busca questionar cada fenômeno, tentando comprovar, compreender e explicar cada ato, fato e consequência. O ceticismo, daqueles que creem somente no que pode ser comprovado cientificamente, bate de frente com a fé religiosa. Ignorando que esta é capaz de proporcionar o desenvolvimento de outras sensibilidades e faculdades mentais. Os mitos e os ritos possibilitam a transcendência pela fé. O pensamento positivista, motivacional e construtivo, realmente opera milagres. É obvio que é bom entender como tudo funciona; Contudo, é sábio ocultar alguns segredos do próprio entendimento, e grandioso acreditar em algo que não podemos ver (no plano espiritual). Crer no desconhecido parece insano. Porém, tal crença é capaz de mover forças extraordinariamente maiores do que as forças oriundas do conhecimento passível de desconstrução, comprovação e reconstrução. Neste contexto e sentido; Acreditemos em algo maior que a ciência. Acreditemos em nós !

J.P.D.

terça-feira, 25 de março de 2014

Aprender


Aprender com a jornada é requisito essencial ao desenvolvimento. A aprendizagem nos proporciona a possibilidade de entender melhor o mundo em que vivemos. O cotidiano é enriquecedor por ser fonte inesgotável de experiências. O mundo é um laboratório e o viver, um tudo de ensaio onde experimentamos as mais loucas misturas e reações químicas, físicas, psicológicas e espirituais. A luta diária nos ensina a perseverança, paciência e persistência nos objetivos. A natureza nos oferece as ferramentas necessárias ao empreendimento dos mais variados métodos. Enfim, aprender significa observar, experimentar, desconstruir, reconstruir, criar e recriar. E assim seguimos nossa trajetória evolutiva no conhecimento, no entendimento e no saber.

J.P.D.

segunda-feira, 24 de março de 2014

Desenvolvimento Social


Do caos à ordem há um processo de transformação e recriação da realidade. A sociedade só é capaz de se desenvolver quando há desenvolvimento coletivo e individual. A transformação social é a soma das transformações individuais. Para que a sociedade possa evoluir, é necessário que cada indivíduo busque e alcance o desenvolvimento que idealiza. Neste contexto, investir naqueles que sonham grande e empreendem esforços em ideias inovadoras é investir no bem comum de todos os outros.

Há mais de um século, Karl Max falava na mais valia como a diferença do que era produzido pelo trabalhador em relação ao que o mesmo recebia como pagamento. Ou seja, o lucro recebido pelo dono do empreendimento. Na época surgiram os ideais socialistas, em contrapartida ao capitalismo, que segundo ele servia pra expropriar capital e encher os bolsos do capitalista. O capitalismo, por sua vez surgiu de uma evolução vinda da idade média. Do Feudalismo latifundiário à Burguesia comerciária e à Indústria de massa. Da escravidão ao trabalho assalariado. Onde supostamente todos teriam o mesmo ponto de partida, enquanto o ponto de chegada dependeria de cada um.

Ainda hoje discutimos se há um modo de produção capaz de superar o capitalismo. Da mesma forma, discutimos a eficiência da democracia representativa. Neste ambiente surgem as proposições referentes à democracia direta, digital e participativa. Propondo o fim das disputas partidárias e o fim das hierarquias. A sociedade ideal possibilitaria a auto regulagem do sistema mediante a conduta racional ética de respeito aos direitos e deveres. O que para alguns seria uma versão utópica da anarquia. 

Assim sendo, entre propostas e possibilidades, o homem tem duas opções. Se adaptar ou protestar, contestar e se rebelar. O fato é que a segunda opção implica marginalização social. A rebeldia da não aceitação do sistema tem duas faces. De um lado possibilita pensar em novas alternativas; De outro, condiciona os rebelados a uma situação de exploração forçada. É certo que ambos os movimentos precisam ocorrer ao mesmo tempo se quisermos caminhar juntos no sentido da construção de um mundo melhor, no âmbito individual e coletivo.

Os mais adaptados sobrevivem ao meio. Os mais produtivos se destacam no mercado competitivo. E o resultado de tudo isso é a construção de oportunidades, renda e riqueza. As possibilidades são do tamanho dos sonhos e da ousadia de cada um. E quando os indivíduos alcançam os objetivos pessoais, a sociedade toda usufrui do progresso. Cabe à sociedade perceber quem são, e investir nos indivíduos capazes de multiplicar investimentos, oportunidades e benefícios, deixando o caminho aberto ao desenvolvimento coletivo.


J.P.D.

sábado, 22 de março de 2014

Magia do ser


A virtualidade do cosmos se materializa nas obras humanas. O homem é capaz de recriar a si mesmo e transformar a realidade. A consciência transcendental permite que o indivíduo conduza a si próprio pelos caminhos da razão. As questões da técnica, desta alquimia transcendental, são, ao mesmo tempo, questões físicas, psicológicas e espirituais. A metafísica e o imaginário nos permitem acessar o plano virtual. Um virtualismo além da tecnologia. Universos paralelos em comunhão. Linhas distintas em convergência. Idéias opostas em sintonia. Mutação unificadora. Mitos em legitimação. Magia da construção do ser.

J.P.D. 

sexta-feira, 21 de março de 2014

No mundo pós-moderno


O pós-modernismo foi definido, em um momento inicial, numa época em que o mundo vivia uma recriação necessária e inevitável. O individuo e a sociedade esperavam novas versões do conhecimento vigente. O penamento transformador, dos filósofos e intelectuais da época, oscilava entre o estruturalismo  e o foco no indivíduo. A ruptura do vínculo, entre autor e obra, se mostrava como uma necessidade e intenção primordial aos estruturalistas. No entanto, o indivíduo continuou sendo importante, e primordial, na visão dos historiadores. Surgiram, naquele momento, novas recriações da realidade.

Em meio aos campos de confronto entre os indivíduos, forças materiais e econômicas, emergiram os mestres do pensamento pós-moderno. O compartilhamento de conhecimentos construídos contribuiu na construção de uma nova realidade. A intelectualidade de alguns pensadores da época buscava transcender a técnica, juntamente de uma atuação diferenciada na esfera pública, propondo soluções, construindo visões e fazendo críticas sociais. A discussão de grandes temas ganhou proporções coletivas dimensionadas. 

A pós-modernidade surgiu após a recriação das condições sociais do saber em um momento sedento de transformações. Mas o que é o saber? Como é produzido? O que se quer com a ciência? Qual a legitimidade das verdades em discussão? Estas e outras questões, e mutações do pensamento pós-moderno, possibilitaram a metamorfose do individuo e da sociedade.

As reflexões sobre o modo de produção dominante, e as alternativas surgidas no momento, criaram laços interativos nos grupos temáticos a partir de afinidades e sintonia de interesses. Neste contexto, a exposição do saber acarretou a reflexão sobre causas, efeitos, possibilidades, alternativas e soluções.

O ingresso neste universo de intercâmbio do saber impulsionou os jogos de linguagem, poder e sínteses. Jogos, nos quais o ingresso se dá a partir a produção significativa, mediante a avaliação de novos conhecimentos. Ou, novas versões do saber. Contudo, só há jogo quando há regras, participantes, juízes, avaliadores e testemunhos. De toda forma, e neste contexto, comunicação é combate. Assim sendo, em uma nova reinvenção do mundo pós-moderno, como pesquisadores, estamos no combate.

J.P.D.

quinta-feira, 20 de março de 2014

Conquistar o sucesso


Boa parte dos grandes empreendimentos começam pequenos. A grande maioria das empresas iniciam um processo de faturamento e lucro somente após um período introdutório de aquisição de conhecimento, experiência e formação de network. O planejamento em comunicação e marketing requer um estudo prévio do mercado. Uma análise de oportunidades. E uma avaliação de forças. A construção de uma missão. E a visão de futuro. Fazer o que gosta e sabe. Estar no lugar certo, na hora certa, é o diferencial do empreendedor bem sucedido, do profissional reconhecido e do guerreiro vitorioso. Saber enfrentar as adversidades com produtividade é o diferencial necessário à mensuração de resultados. Ter paciência e perseverança na superação de obstáculos, na busca das metas e objetivos é determinante. A soma destes e outros fatores é o caminho à legitimação do sucesso.

J.P.D.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Ciberespaço


O ciberespaço se tornou um ambiente de trocas simbólicas interativas. A nova ágora onde se exerce a democracia. O direito de expressão compartilhado no espaço público virtual. Através de um intercâmbio cultural entre subjetividades. A partir de narrativas virtuais construídas em tempo real. Em um contexto de visibilidade, transparência, participação e conexão onipresente. Em um processo de construção de capital social e legitimação do espaço midiático como uma esfera representativa do real. A materialização do imaginário e a virtualização da realidade. Visões particulares, plurais e singulares. Criando e legitimando os novos mitos do mundo tecnológico.

J.P.D.

terça-feira, 18 de março de 2014

Cosmo Pensantes - Loucura e Lucidez


O dualismo é uma propriedade dos cosmo-pensantes. Uma forma de bipolaridade controlada. Um modo de pensar, sentir e agir de formas distintas. De um modo mitológico, seria como a coexistência dos opostos no âmago do ser. Desdobrando-se e comungando sempre que necessário. Entre o bem e o mal; O certo e o errado; Do céu ao inferno; E vice-versa. Invertendo posições e recompondo quando preciso. E, em comunhão, somos capazes de nos tornarmos um conosco. Neste contexto, aprendemos a nos posicionar de formas distintas em relação às referências individuais e coletivas. Em uma posição de sobriedade, poderíamos diagnosticar como a real mistura entre loucura e lucidez.

J.P.D.

segunda-feira, 17 de março de 2014

Lutar pra vencer


O desenvolvimento pessoal requer a superação de obstáculos, a libertação de hábitos viciosos, o investimento cotidiano nas atividades construtivas e a recriação constante. Na construção do ser e na transformação da realidade é necessário o comprometimento com metas e desafios. A perseguição dos objetivos, sonhos e ideais, condiciona e legitima a perseverança no bom combate. Lapidar corpo, mente e alma, como um diamante bruto. Posicionar-se definitivamente em relação à sociedade e indivíduos. Com respeito ao próximo e amor próprio. Lutar em nome daqueles que acreditam em nossa causa. E vencer por aqueles que lutam ao nosso lado.

J.P.D.

domingo, 16 de março de 2014

Curta Nossas Fanpages !






Clique nas imagens acima pra entrar nas Fanpages



sábado, 15 de março de 2014

sexta-feira, 14 de março de 2014

Quem Somos ? !


Partindo da própria vivência, até chegar ao ser íntimo, analiso o processo de recriação e percebo a complexidade que nos tornamos. Heidegger percebia o homem como um ente isolado, dotado de subjetividade. Enquanto o mundo era percebido como um conjunto de entes. Múltiplos, plurais e heterogêneos. Onde o dualismo dos opostos comunga no caos e na ordem. Enquanto isso, Nietzsche nos perguntou como nos tornamos quem somos. E Baudrillard nos explana que todo homem é dotado do bem e do mal. Neste contexto, indo além de Baudrillard, me atrevo a dizer que algo faltou à Nietzsche e que Heidegger estava errado.

Primeiramente, afirmo, apoiado nas próprias experiências, que o homem é um complexo plural de entes. No qual, comungam o igual, o semelhante e o diferente; O contrário e o mesmo; O certo e o errado; O profano e o divino; O masculino e o feminino; O anjo e o demônio; O pai e o filho; O santo e o pecador; O animal e o espiritual; O cavalo, o guerreiro e o cavaleiro; O antes e o depois; O tudo e o nada.

A legitimação da subjetividade plural complexa se dá à media em que experimentamos pensar de formas distintas. Nos colocando no lugar, e no papel, dos mais variados personagens da vida real. Contudo, não de forma representativa; Mas, de espírito incorporado. Não de algo externo; Mas, sim, do que vive no âmago de nosso interior: Nós mesmos.

Assim, muitos aprendem o segredo da construção, incorporação e legitimação de subjetividades. Os personagens do cinema, como os Heróis Marvel, por exemplo. Ou, os personagens de Anysio e Disney, podem ser retratados como representações simbólicas de entes reais, os quais posteriormente são incorporados e legitimados. Estou longe de dizer que podemos nos tornar um Batmam, Homem Aranha ou Super Man. O que quero dizer é que muitos dentre nós são influenciados pela ficção, da mesma forma que somos influenciados pela mitologia e pelo sincretismo.

Todos temos nossos referenciais. Alguns, dentre nós, costumam chegar ao ponto de se julgar os próprios heróis que cultuam. Outros se sentem como os tais, mesmo sem dizer nada a ninguém. Alguns ainda experimentam pensar e agir como, pensam e agem, suas próprias referências. Ou, pelo menos, como imaginam que pensam e agem, suas respectivas referências. Assim, incorporamos elementos e construímos o próprio ser. Baseando-se em tudo o quanto nos alimentamos do mundo externo. Da mesma forma, alimentamos, construímos e legitimamos o ser complexo que nos tornamos e somos.

A memória dos mortos; As referências no mundo real; Os personagens da televisão; Nossos mestres, amigos e familiares; Os vídeos, fotos e textos da web. Enfim, tudo contribui na construção da complexidade do pensamento humano. E quando somos capazes de sentir e agir de acordo com o que pensamos, legitimamos tudo o quanto acreditamos. Não da mesma forma como percebemos, mas, da forma como somos capazes de recriar. A partir da experimentação, da vivência e da experiência cotidiana.

Somos o produto de nossas relações, crenças e interações; Aprendemos em cada experimento; Nos tornamos quem somos pela soma de um conjunto de fatores. Do nascimento; Das influências da infância; Da multiplicidade de experiências na juventude; Da maturidade alcançada pelo desenvolvimento da consciência; Pelos valores da razão legitimados na prática; E pelo entendimento de que somos capazes de transcender todo e qualquer tipo de pensamento e sentimento, desde que nos mostremos receptivos aos mais distintos referenciais possíveis, ao mesmo tempo em que construímos o próprio caminho. O principal de tudo: Entender que podemos estar enganados mesmo quando temos certeza.

J.P.D.

quinta-feira, 13 de março de 2014

Mudanças e Transformações


Muitos pensam em conquistar mundo; Alguns pensam em salvar o mundo; Contudo, raros se detém a salvar e conquistar a si próprios. A transformação da realidade é uma consequência direta das mudanças de comportamento. Todos podemos ser hoje, melhores do que ontem.

Acorde mais cedo;
Trabalhe um pouco mais;
Liberte-se dos hábitos nada construtivos; 
Elimine atividades desnecessárias; 
Pratique atividades físicas;
Cuide da alimentação;
Cultive o hábito de aprender coisas novas;
Compartilhe suas conquistas;
Some forças com que tem os mesmos objetivos;
Capte do mundo o que há de melhor.

J.P.D.

Radioweb Prossumers Multimídia

Programa Trash Metal and Metalcore


O melhor do Trash Metal
Somado ao que há de melhor do Metalcore do Terceiro Milênio


Programa Revolução Rock - Episódio II


Trilha
Van Halen - Jump

Sons do programa
Nirvana - Come as you are
Lez Zeppelin - All of my love
Guns and roses - Sweet child of mine
Deep Purple - Smoke on the water
Iron Maiden - Fear of the dark (cover trash)
Metalica - The Unforgiven

Produção: Prossumers Multimídia

Apresentação: Juliano Dornelles 

quarta-feira, 12 de março de 2014

Eternidade Espiritual


Certas coisas me fascinam. Enquanto outras me assustam. Vamos começar pela parte boa. Vivemos em uma nação abençoada. O Brasil têm tudo pra se tornar hegemônico. Recursos naturais, alegria no sorriso do povo e a benção dos Orixás.

De outro lado, temos a ação maliciosa dos comerciantes de indulgências. Irmãos que acreditam que as vidas de meninos, meninas, senhores, senhoras, santos, anjos e demônios, pudessem ser adquiridas a partir da concessão de posses,  posição social, títulos e graus. 

Muitos daqueles que desfrutam da benção de viver uma vida espiritual mitológica, cometem o erro de pensar que poderiam adquirir ou se desfazer de tais identidades. Comprometendo a própria existência e possibilidade de eternidade. Quando falo em eternidade, me refiro à libertação do karma da reencarnação, assim como a libertação da necessidade de continuação com descendentes (ou outros entes) na Terra após a vida corpórea, podendo expandir-se por completo, comungando com o cosmos em sua totalidade.

O fato é que todos sabemos que o ser verdadeiro é livre de tais negociações. Como nos tornamos quem a gente é, é muitos mais um processo de aprendizagem, vivência e nascimento, do que um processo de aquisição. Contudo, vivemos em total recriação. Dizer que somos quem somos, ou simplesmente pensar que somos, poderia soar como um processo de autoafirmação impositiva. Em um processo de obsessão espiritual, alguns dos nossos entes internos e externos fazem a tentativa de se apropriar do verdadeiro ser, através da auto intitulação.

Livres destes e outros erros, temos a possibilidade de conquistar a plena felicidade aliada à conquista da eternidade espiritual. Ter a consciência de que todos temos esta possibilidade, dentro do caminho real (livre do comércio ou auto intitulação). Somado a condição de jamais se retirar do outro (com aquilo que sente, tem ou é), tampouco subtrair de si, este ou aquele, ente, indivíduo ou subjetividade, a qual desaprova, desgosta ou discorda. Pois precisamos dos outros da mesma forma que podemos ajudá-los. Nestes termos, se torna mais tranquilo desfrutar dos prazeres de uma vida espiritual plena rumo à eternidade infinita.

J.P.D.

terça-feira, 11 de março de 2014

Comunicação Midiática - Transmutações na Pesquisa Acadêmica


A pesquisa acadêmica na comunicação vem sofrendo transmutações necessárias à evolução dos estudos midiáticos. Vem surgindo novos campos temáticos; Emergindo consciências de uma nova época. De imperialismo, globalização e mundialização da cultura. Consumismo, interação e conexão onipresente. Contexto em que se faz necessária a busca de novos objetos de estudo. Assim como a construção de novos olhares sobre os mais variados temas. O sujeito (quem quer conhecer) busca um maior entendimento sobre o objeto (o que vem a ser conhecido).

Neste contexto, os cientistas se configuram como sujeitos do conhecimento. Observadores da interação do homem com o mundo. Precursores em construções inovadoras. Revolucionários da recriação social do ser. Ao mesmo tempo, em que áreas de pesquisa se confrontam em campos de disputa, surgem os movimentos transdisciplinares, interdisciplinares e multidisciplinares, como elementos pacificadores e construtores de uma comunhão e convergência entre os diferentes tipos de pensar, sentir e ver o indivíduo, a sociedade e os fenômenos cotidianos.

O domínio sobre o saber, proporciona ao cientista a construção de competências que o torna autoridade. Nesta comunhão e convergência se faz necessária a integração entre os estudos acadêmicos e a produção técnica. A 'reflexão sociológica e filosófica' aliada ao 'saber fazer' e o 'fazer de fato'. A ciência tem um vinculo com a prática profissional. Entender procedimentos e fenômenos; Desconstruí-los e reconstruí-los, com a inserção de novos elementos, de forma natural e longe da artificialidade. A evolução depende da aliança entre a reflexão filosófica, sociológica, técnica, ética e moral, aliada à produção de novos objetos de estudo e à criação de novos produtos mercadológicos. Ser consciente desta necessidade é o primeiro passo.

J.P.D.

segunda-feira, 10 de março de 2014

Fortalecendo o ser


O amor ao próximo, apesar de ser um bom sentimento, demonstra a fragilidade do ser. Que seduzido, esquece-se de suas prioridades e projetos pessoais. Dedica tempo demasiado em pensar e buscar o ser desejado. O ser forte, por si próprio, é focado em si mesmo. Colocando-se como prioridade em toda e qualquer situação. Embora este seja um enfoque individualista, esta é uma característica daqueles que encontram, no próprio âmago, o que a grande maioria busca no lado exterior. 

Da mesma forma, podemos citar a satisfação dos desejos da carne. Comer e beber em excesso; Consumir substâncias alucinógenas, como álcool e drogas (mesmo que socialmente); Buscar a todo o momento o prazer sexual a qualquer custo; Perder-se em orgias e festas desnecessárias (mesmo que eventualmente); Dormir em demasia (mesmo que ocasionalmente); Preocupar-se excessivamente com a aparência ou com a opinião alheia; Entre outras atividades, preocupações e transtornos que se movem no sentido contrário do fortalecimento do ser.

O ser fortalecido vive compenetrado nos próprios projetos e objetivos. Mesmo quando cultiva bons sentimentos em relação ao próximo, coloca-se como prioridade. Mesmo quando sente prazer em determinadas ações e hábitos, busca e conquista da libertação dos desejos. Exerce com frequência o sacrifício da renúncia momentânea de alguns prazeres. Conquistando o domínio sobre si próprio. E encontrando em si mesmo tudo o quanto precisa.

J.P.D.

domingo, 9 de março de 2014

Mitos Tecnológicos


Vivemos em um contexto de interação midiática em que os internautas se reúnem com fins interativos de construção conjunta da realidade. A política, a moda, as tendências de pensamento, a filosofia e o conhecimento são construídos na esfera real e virtual. De algum modo estamos vivendo um processo de virtualização do plano físico. O intercâmbio de conhecimentos ocorre ao mesmo tempo em que procedem outros tipos de trocas simbólicas. Em meio a armação tecnológica, emerge o prossumidor.

A web se torna um ambiente interativo onde o saber compartilhado se torna objeto de desejos dos interagentes. Um universo paralelo onde são trabalhadas as divindades do espaço tecnológico. Enquanto os internautas ativos se tornam mediadores deste procedimento interativo de construção social mundo coletivo e individual. No ciberespaço nascem novos personagens, os quais têm suas respectivas subjetividades legitimadas a partir da interatividade, consumo e produção de conteúdo.

Os deuses virtuais se tornam reais à medida em que suas histórias são compartilhadas na rede. Pessoas comuns capazes de participar de forma diferenciada na sociedade. Muito além dos telefonemas e conversas presenciais. Mas também a partir de fotos, textos, vídeos e áudios. Da mesma forma podemos citar as artes gráficas, animações, games interativos, desenvolvimento web e as mais distintas linguagens de programação. Uma nova era na qual os mitos fazem uso das mediações tecnológicas. E neste contexto, somos os principais responsáveis por estas e outras transformações.

J.P.D.

sábado, 8 de março de 2014

Espiitual


A transcendência espiritual se apóia sobre escolhas, insights da consciência, reflexão existencial, sensibilidade mística e o bom uso da conduta. Neste contexto, o ser é experimentado pelo cosmos. E estimulado a trilhar um caminho próprio e singular. Na trajetória da jornada é necessária a recriação constante. A libertação faz parte deste procedimento. Libertar-se requer sacrifícios. Alguns prazeres, mesmo quando inofensivos, tem de ser contidos. Os experimentos com o que muitos chamam de outro lado (uma forma diferente de pensar) complementam a multiplicidade de possibilidades de percepção. Transcender faz parte da evolução natural dos seres espirituais. E a eternidade do espírito, livre de outras reencarnações, é o prêmio a quem experimenta superar todo e qualquer ponto de vista. Assim sendo, cabe-nos construir o desenvolvimento o qual buscamos. 

J.P.D.

quinta-feira, 6 de março de 2014

Transcendência Digital


O jornalismo colaborativo no ciberespaço é uma forma de produção digital de conteúdo multimídia na qual cada internauta participante do processo coletivo atua de forma independente e integrada com o grupo ao mesmo tempo. Os mecanismos de interação midiática, como fóruns, comentários, enquetes, hashtags, compartilhamentos e likes, são a forma mais comum de engajar os públicos no processo interativo. E é esta interação entre internautas que faz da web um ambiente estimulante e desafiador à criação de novas formas de construção social da realidade via interatividade.

À medida em que o conhecimento coletivo vem sendo construído, e o saber comum vem sendo compartilhado, ocorre uma forma de intercâmbio cultural entre agentes e atores sociais. A internet surgiu como uma oportunidade de disponibilizar o acesso à informação e ao poder de comunicar. O que muitos chamam de 'comunicação de muitos para muitos'. Onde 'todos somos receptores e produtores em potencial'. Contudo, o compartilhamento na web se mostra desorganizado; Principalmente no que diz respeito aos sites de mídias sociais. É um grande desafio organizar de forma efetiva e eficiente todo este potencial criativo e interativo.

Notamos uma saturação no ciberespaço da reprodução e plágio de conteúdos. A grande maioria ainda prefere compartilhar e curtir conteúdos de terceiros do que construir e postar o próprio conteúdo. E tudo indica que os compartilhadores, consumidores, produtores e prossumidores, conviverão de forma independente durante um bom tempo. Se, de um lado há espaço pra todos, de outro modo precisamos racionalizar o que vem sendo postado na web. Da mesma forma, precisamos criar mecanismos de proteção ao conteúdo postado na rede. De toda forma, a produção compartilhada nas redes é parte integrante de nossa história desde o surgimento da web, se tornando patrimônio cultural dos internautas e da humanidade. Estes são alguns tópicos sobre os quais precisamos refletir. 

J.P.D.

quarta-feira, 5 de março de 2014

Bom combate


A jornada sagrada convida o guerreiro ao bom combate. A superação é fruto da luta cotidiana. O desenvolvimento é o prêmio concedido a quem busca a evolução constante. Os obstáculos surgem como oportunidades de desenvolvimento. Vencer se torna o desafio diário. Evoluir é a consequência a quem busca a perfeição dos movimentos. O pensamento é onde são construídos os projetos. E o coração é onde o viver ganha sentido.

Perseverar e ser paciente se torna um ato decisivo na conquista dos objetivos. Acreditar nos sonhos e lutar por eles nos aproxima da realização concreta. Ter fé é um diferencial capaz de transformar a realidade. Amar o que somos e o que fazemos pode tornar nossos dias mais felizes. A piedade é uma arma poderosa na defesa, desde que possamos defender nosso território ao fazer uso dela.

Avançar requer saber o que queremos. Perpetuar-se no combate requer valorizar o que somos e temos. Respeitar o próximo é uma atitude de sabedoria. E no respeito, a defesa é sempre a melhor estratégia ao contra-ataque. Retribuir o bem a quem nos faz o bem é a melhor alternativa na formação de alianças. Quando seguimos estes passos, consolidamos a possibilidade de continuar vencendo e pra vencer.

J.P.D.

sábado, 1 de março de 2014

Evolução Web


Com o desenvolvimento das tecnologias móveis de interação, cresce o interesse dos usuários da internet na conexão ubíqua. Da mesma forma, aumenta consideravelmente o número de internautas produzindo conteúdo. Neste contexto de conectividade e interatividade emergimos como prossumidores, a partir do consumo, da produção e do compartilhamento de conteúdo.

Após o sucesso do Orkut e a ascensão do Facebook na última década, percebemos a inexistência de uma rede social virtual à altura. O Facebook parece ter atingido o seu apogeu como mídia social de interação. O uso da plataforma se tornou banal e corriqueiro. Mesmo com a multiplicidade de outras redes e aplicativos integrados, sentimos a necessidade de buscar novos usos nesta e em outras plataformas. Assim como o desenvolvimento de uma mídia social mais completa e inteligente, integrando bancos de dados e sistemas de informações, como rede bancária, linhas de crédito, polícias, escolas e instituições diversas. Algo que possa ser acessado a partir de uma identidade virtual. Um currículo, uma ficha, um histórico, etc.

A reinvenção das mídias sociais faz parte da evolução da internet. E a internet utilizada em um contexto de mobilidade se torna muito poderosa. Aplicativos como Instagram, Whats App, Foursquare, Waze, Pinterest, Trumblr e Twitter, se tornaram ferramentas de uso cotidiano. De toda forma, sentimos a necessidade de uma evolução transcendente ao que conhecemos como internet móvel hoje em dia. Neste sentido, tenho certeza de que uma evolução surpreendente há de acontecer nos próximos anos . Estejamos prontos e atentos ao novo.

J.P.D.