sábado, 31 de agosto de 2013

Curta Nossas Fanpages






Clique nas imagens acima pra entrar nas Fanpages

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Expointer 2013


ESCLARECIMENTOS AOS ESPECTADORES !

Pessoal, em relação a alguns vídeos que posto no youtube, gostaria de esclarecer que o vlogueiro é composto por um hall de personagens, que ao serem incorporados, retratam características facilmente estereotipadas.

Quem conhece minha pessoa pessoalmente sabe que sou um cara sério e respeitoso. Mesmo assim, tenho certeza de que as más interpretações sobre meu trabalho se perpetuarão. Sobretudo a confusão básica entre autor e personagem.

No mais era isso. Assista o vídeo e curta com moderação !

J.P.D.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

A importância do amor


Desde muito tempo ouvimos falar do amor como uma forma de alcançar a felicidade. Surgiram inúmeras definições e categorias. Eros, Ágape, Afrodite. A paixão platônica. O amor exigente e incondicional. O certo é que o amor nos faz sentir motivação em viver. Deste modo, meu convite de hoje é o de nos amarmos plenamente e juntos construirmos o futuro. Um futuro repleto de coisas boas.

J.P.D.

quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Pensar, sentir e agir


Segundo a física quântica, palavras, pensamentos e sentimentos têm poder criador. Contudo, a criação ocorre de fato quando nos mobilizamos em tomar decisões e ter a atitude correta em cada situação. Agir continua sendo a melhor forma de alcançar objetivos, atingir metas e mensurar resultados. Neste sentido, o alcance dos ganhos e benefícios ocorre quando tomamos as decisões apropriadas nos momentos decisivos.

De certa forma, é importante que estejamos conscientes e determinados a fazer a escolha consciente quando e se for necessário. Precisamos entender, respeitar e se adaptar às leis do universo. Pensamentos, sentimentos e palavras, são sim agentes criadores do sucesso. Mas tudo ocorre quando há a atitude certa no momento certo.

Somos responsáveis pelo nosso destino. Somos agentes transformadores e atuantes na construção do futuro o qual buscamos. Precisamos ter em mente o compromisso e a responsabilidade em cada ato pensado, idealizado e realizado. Com a certeza de que tudo tem um preço. Fazendo a nossa parte, certamente chegaremos ao futuro construído por nossas idealizações, atitudes e realizações.

J.P.D.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Espíritos imortais em avatares humanos


A experiência humana é como chamo nossa passagem por este mundo. Os cientistas costumam chamar o homem de ser humano. Contudo o ser humano é apenas a consideração biológica sobre o corpo físico que caracteriza a espécie animal racional. Contudo, como seres espirituais, estamos apenas vivendo uma experiência humana. O ser humano, na verdade, é o ‘avatar’ de nosso ser real.  Em vez de dizer que somos humanos, entendamos que ‘estamos’ humanos.

O estado humano do ser é um estado físico e material com qual nossa alma espiritual, ou espírito, trabalha neste mundo. Apropriamos-nos, desde antes do nascimento, já na própria gestação, do corpo físico o qual ocupamos durante todo o período vital. Contudo, a vida propriamente dita (vida espiritual) transcende a experiência humana, do corpo físico caracterizado pela biologia como mamífero, vertebrado e pluricelular. Já as características da razão, percepção e consciência, são faculdades mentais do espírito.

Entendamos então, as faculdades mentais como atividades extra cerebrais. Atividades espirituais, metafísicas e psicológicas. A partir da experiência corpórea, o espírito que aqui ocupa a forma humana interage com outros espíritos e manipula com maior domínio a matéria física. E tudo isso na busca do conhecimento esclarecedor, da sabedoria e do desenvolvimento espiritual pleno. Ciclos eternos de encarnações sucessivas e intercaladas. Mas este é outro assunto.

J.P.D.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O 'eu' saturado


Na obra ‘El yo saturado’, Gergen Kenneth aborda temas tais como a consciência individual e coletiva. Em um contexto onde a maturidade moral dos indivíduos tem papel decisivo na maneira como nos relacionamos com os demais. Trata da importância das novas tecnologias e da linguagem como delimitadoras e influenciadoras da construção do mundo.

Neste ambiente surgem os debates acadêmicos. Onde as novas tecnologias permitem manter relações diretas e indiretas com o conhecimento e entre os indivíduos. 

Keneth explica como os modernistas definem o ‘eu’ como dotado de raciocínio próprio. Inserido em um novo espaço de interação. Imerso em uma pluralidade de vozes. Diálogos interativos e produções colaborativas. O mesmo espaço onde emerge a inteligência coletiva.

Historiadores e antropólogos manifestam profundo interesse na concepção que tem sobre as pessoas. As pessoas são dotadas de distintas emoções e diferentes capacidades de racionamento. O mundo inteiro está agora preocupado coma saúde mental do homem.

Os homens são dotados da capacidade de discernir sobre a verdade e decidir a ação apropriada. Neste sentido de reflexão existencialista, os românticos conceberam a alma como um habitante nodal do interior oculto. Da mesma forma que o amor, a amizade também é vista como uma questão espiritual.

No entanto, Freud pressupôs que a principal força impulsionadora da conduta estava situada mais além do alcance da consciência. O êxito da consciência dependia das faculdades de observação sistemáticas e de um racionamento rigoroso. Já Russel, coloca uma matemática do comportamento humano tão preciso como a matemática das máquinas.

Assim sendo, a cultura ocidental narra a si mesma tornando-se compreensível. Cultura esta que pensou na sucessão da espécie pelo pós-humano. De algum modo a ciência tomou-se pelo desejo de buscar a verdade. Assim como, soluções aos problemas humanos.

Os homens intensificaram as idealizações de máquinas e sociedades utópicas. A visão modernista se introduziu nos rincões da vida cultural. Enquanto a psicologia se encarregou de tentar explicar e definir o ‘eu’ básico. A partir da compreensão, buscou-se então trabalhar a aceitação do ‘eu’. Este seria  o início de uma conduta racional.

De toda forma, o ambiente sempre influenciou na produção das personalidades. Tornou-se impossível fugir de uma colonização do ser pela saturação social.

A partir do conceito de cidadania global, os indivíduos se introduzem como cidadãos atuantes em todo mundo. Contudo sofremos cada vez mais com a dependência mediada. De algum modo a tecnologia é facilitadora das atividades humanas, fruto e geradora de progresso.

Novas companhias surgem, atuando de maneira conjunta com governos e instituições de ensino. Emerge a multiplicidade de relações, excepcionalmente mediadas, em todo o mundo. Facilitadas pela tecnologia móvel, ubíqua e onipresente.

As afinidades entre indivíduos também são formalizadas de acordo com as tecnologias que utilizam. A televisão, assim como a internet e as tecnologias móveis, possibilitam múltiplas relações entre os homens. Surge com a tecnologia, maiores oportunidades nas relações interpessoais. Maiores oportunidades de interação. E estas são apenas algumas considerações em meio a filosofia de Kenneth.

J.P.D.

Pra saber mais, leia 'El yo saturado' de Gergen J. Kenneth

domingo, 25 de agosto de 2013

Com as próprias palavras


Dois mil anos de ignorância, e ainda há quem pense que Platão era socrático. Se realmente o fosse conceituaria o respectivo conhecimento com as próprias palavras. Isento de citações. É lamentável, mas estamos viciados em forjar diálogos, artificiais e imaginários, baseados em referências ancestrais. Está na hora de definirmos o novo por nós mesmos. Fazendo uso do próprio vocabulário.

J.P.D.

sábado, 24 de agosto de 2013

Revolução Rock


Aproveito o espaço reservado à postagem do dia pra divulgar o primeiro episódio do programa 'Revolução Rock'. Produzido e apresentado por mim, Juliano Dornelles. Uma parceria do blog pazdornelles.com com Prossumers Multmídia. Clique no play pra ouvir. Espero que gostem !

J.P.D.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

O Segredo !



Aproveito a postagem do dia pra compartilhar com meus leitores um fragmento do documentário 'O Segredo'. O vídeo é ideal a quem busca motivação, desenvolvimento e otimismo na construção de dias melhores. A importância de cultivar o pensamento positivo no contexto da física quântica; E  do que o documentário chama de magnetismo ou 'Lei da atração'. Vale a pena conferir. Recomendo !

J.P.D.

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Segredos


No desenvolvimento do conceito de inteligência coletiva, em um contexto de encontro entre os domínios do saber popular e do saber global,  encontramos uma distância cada vez mais estreita entre o saber coletivo e o senso comum. A inteligência coletiva pressupõe a soma dos conhecimentos individuais. Um saber integrado e interativo. 

Contudo há um momento em que a inteligência coletiva comunga com o senso comum. Sei que tratam-se de conceitos distintos. Mas quando compartilhamos um conhecimento novo tornando-o coletivo. Este conhecimento deixa de ser novo e torna-se comum. Daí surge a valorização dos segredos no despertar da consciência e nas legitimações em termos sagrados.

J.P.D.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Fé e Ciência


Durante muitos séculos, os cientistas tentaram explicar, comprovar ou desconstruir os fenômenos religiosos configurados como milagres. Nietzsche chegou a falar que os santos eram o fraude da era. Contudo, todos sabemos que os fenômenos ditos sobrenaturais, espirituais e religiosos, são livres de uma desconstrução pelo conhecimento. Pois a legitimação de tais fenômenos transcende o conhecimento. São legitimados pelo testemunho baseado na fé. Que é independente do saber científico.

Aquilo que se trona real, e é legitimado a partir da fé, é algo livre e independente de comprovação científica. Einstein, no fim de sua vida, chegou a dizer que 'ciência sem religião é manca, e religião sem ciência é cega'. Ou seja, até mesmo um dos maiores cientistas de todos os tempos, um dia, se rendeu a fé. Sei que é difícil acreditar no invisível para os céticos. E que é confortável a ideia da bem aventuranças aos que creem no que não vêem. 

Independente concordar com a legitimidade dos santos. E de acreditar em Deus soberano, na mitologia, no sincretismo, no espiritual, nas lendas, nos espíritos e nas pessoas. O que quero aqui dizer é que determinadas coisas se tornam reais àqueles que acreditam nelas, quando estes compartilham de experiências físicas baseadas na fé. O imaginário tudo pode. Até mesmo dar vida às criações do homem.

J.P.D.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Pós-Humano


Em prol do desenvolvimento social na Terra, mesmo que conduzido pelo subconsciente, o homem das cavernas deixou de ser primata a partir da mudança de atitude. A transformação na forma como vê, percebe e se relaciona com o mundo. Pela sobrevivência, precisou aprender a caçar o próprio alimento. E a partir desta necessidade, teve de criar utensílios que se tornaram extensões de seus membros.

As próteses tecnológicas existem desde antes da tecnologia multimídia. Dos óculos, ao telefone, fone de ouvindo e a demais tecnologias hoje conhecidas. Desde os primeiros tacapes, feitos de madeira ou ossos, com pedras pontiagudas amarradas na ponta, o primitivo do nosso ancestral decidiu dominar o mundo a partir da produção de ferramentas que facilitassem seu trabalho e sobrevivência.

Com a criação dos códigos de comunicação, como a escrita, se tornou mais fácil e rápido registrar, armazenar e transmitir o conhecimento. Das pinturas rupestres à cibercultura, o homem manipula o registro, arquivamento e transmissão de informação.

Com a imprensa, a fotografia, o rádio, o cinema e a televisão, a indústria de massa alcançou o apogeu nunca antes imaginado. Apogeu este que vem sendo superado e expandido pelo desenvolvimento tecnológico acelerado, desde o advento da internet,  e, mais recentemente, das tecnologias móveis e ubíquas.

A comunicação de massa, que antes era de poucos para muitos, agora é todos para todos. Neste universo virtual surge a figura dos prossumidores. Produtores e consumidores de conteúdo multimídia ao mesmo tempo. Internautas que consomem e produzem cultura na web.

A facilidade de apropriação de conteúdo também vêm crescendo com a mania dos compartilhamentos virais. Ao mesmo tempo em que cresce a dependência mediada por parte dos usuários da tecnologia. Hoje em dia, dispor de energia elétrica, celular e internet se tornou necessidade básica à educação e ao trabalho.

O fato é que este processo evolutivo é cada vez mais rápido. Há pontos positivos e negativos nesta jornada de desenvolvimento. As mudanças ocorrem de maneira mais acelerada. E dentro de um contexto de evolução genética e tecnológica, estamos aos poucos dando vida aos sucessores da espécie. O pós-humano surge como um hibrido do mutante e ciborgue, agregando reflexos da evolução genética somado à expansão tecnológica proporcionada pelas próteses mecânicas dimensionando a capacidade dos sentidos humanos. Este é o futuro da espécie. Inevitável e certeiro.

J.P.D.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Beba água !


O blog-site pazdornelles.com tem o compromisso de estimular a libertação dos jovens. Uma vida livre do álcool, tabaco e outras substâncias químicas é uma vida mais saudável. Melhor condicionamento físico e concentração. Neste sentido, quando sair à noite pra curtir com os amigos: Evite o álcool, Beba água !

J.P.D.

domingo, 18 de agosto de 2013

Sociedade Midiatizada


A construção da nova sociedade vem apoiada em três fatores essenciais. O primeiro deles diz respeito ao desenvolvimento da técnica e da tecnologia. O segundo se refere ao conhecimento e à informação. E o terceiro é baseado nas relações interpessoais, no diálogo, na interação, na produção coletiva, na mobilidade conectiva e na conexão onipresente também chamada de ubiquidade. 

O fato a ser considerado é que os estudos sobre estes e outros fatores determinantes na construção da nova sociedade, precisam ser abordados em grande escala. O sociedade midiatizada precisa de maiores diálogos entre os pensadores e filósofos da sociologia da era digital. Colocando também em conversação a indústria, o mercado e usuários da tecnologia. 

A comunidade acadêmica, assim como os empreendedores e investidores da tecnologia, vem fazendo esforços no sentido de entender melhor como todo o processo interativo de produção coletiva do conhecimento vem sendo mobilizado e construído. Somente a partir de uma entendimento maior sobre o funcionamento da produção coletiva do conhecimento é que estaremos preparados a mensurar o desenvolvimento tecnológico informacional interativo. Ainda há muito a ser feito. Mas tenho certeza de que estamos no caminho certo.

J.P.D.

Curta Nossas Fanpagens






Clique nas imagens acima pra entrar nas Fanpages

sábado, 17 de agosto de 2013

Manifesto à Inclusão


Na busca do desenvolvimento social, se faz necessário o diálogo entre as distintas visões sobre as mais variadas correntes de pensamento. A linha do desenvolvimento requer trabalho conjunto e inclusivo. Porém, esta inclusão tem de ser racional. É justo incluirmos que for inclusivo. E promovermos quem participar como bom exemplo.

Os primeiros a serem incluídos têm de ser aqueles que buscam a inclusão. E de algum modo, são e defendem pensamentos inclusivos. Por séculos a sociedade tem sido prejudica por grupos e pessoas que comercializam oportunidades excludentes. O pão tem de ser dado a quem tem fome. A oportunidade tem de ser dada a quem a busca.

Os bons exemplos merecem ocupar lugar de destaque na sociedade. Pois assim, outras pessoas também se sentirão mobilizadas em se tornar bons exemplos. Se pudermos facilitar a vida de quem busca o desenvolvimento, assim deve ser feito. Pois são estas pessoas as quais mobilizam a massa e estimulam a sociedade ao crescimento coletivo.

Os pré-julgamentos tem de ser banidos. As pessoas são capazes de mudar. E quando se tornam pessoas melhores, mobilizadas pelo bem comum, se tornam merecedoras de alcançar a realização dos sonhos que cultivam. Pois é justamente o que busca o crescimento o qual tem de ser incluso em primeiro lugar. Pão a quem quer pão. E circo a quem quer circo.

Sabemos que ainda há muitas disputas mesquinhas. E erros graves sendo cometidos. Mais uma vez lhe garanto que é justo incluir quem for inclusivo. Incluir o excludente seria comprometer todo o grupo do qual faz parte.

O erros precisam ser reparados quando percebemos os ter cometidos. Os bons exemplos merecem lugar de destaque. E veja bem, o bom exemplo é inclusivo. Quando mais hesitamos em reparar um erro, mas caro se torna compensar o tempo sucedido.

São os grandes sonhos que movimentam os grandes avanços. E são os grandes sonhadores que idealizam os grandes sonhos. As nações são construídas a partir de pessoas. Pessoas que sabem o que querem. E que fazem a sua parte como indivíduos e cidadãos mobilizados pela inclusão do desenvolvimento coletivo. Com a participação dos quais já fazem parte deste movimento. 

J.P.D.

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Transformações ( Individuais e sociais-coletivas )


Curta o vídeo da semana, comente, compartilhe (se desejar) e inscreva-se em nosso canal: www.youtube.com/user/Julianodornelles

J.P.D.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Sábios na ignorância


A sabedoria em nada saber, agora, pensando melhor, nos parece ignorância. Porém, maior ignorância ainda seria ser sábio aos próprios olhos. No entanto, mesmo quando nascemos com o conhecimento infinito, também nos apressamos em buscá-lo. Mesmo que seja no âmago do próprio ser.

Então chega o Mestre e lhe diz: 'Me esperastes dois mil anos. Então cheguei. Porém ainda tem dúvidas. Se o milagre existe, em que acreditar, senão naquilo que duvidas?'

Na nova era, agenciadores de si mesmos salvam aquilo que jamais poderia ser comercializado. Se é desnecessário quebrar o mercado. Sejamos livres de indulgências e amuletos sagrados. Salvemos o caminho certo, ao superar os próprios pecados.

Ao levantar a cruz nos ombros, e assumirmos, no certo, ter algo errado. Será mais tranquilo, tudo ser arrumado. Ninguém acima ou abaixo, quando estamos lado a lado.

Então lhe pergunto. Queres debater o assunto ? Ou tentarás decifrar o enigma ? De algum modo, no universo e no mundo, sublinho esta sigma.

J.P.D.

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Receptivos ao novo


Na sociedade temos dois tipos de pessoas. Aqueles que são ativos, participativos e influenciadores, e aqueles que são passivos e facilmente influenciados pela massa e pelo senso comum. O fato é que as grandes transformações da sociedade só ocorrem devido à atitude de pessoas ativas, críticas e contestadoras. Que, através de suas respectivas participações, ajudam a construir  a nova sociedade de forma ativa.

Outro fator a ser considerado na construção de um novo mundo é a necessidade de investir em quem pensa diferente. Desde que tais ideologias sejam construtivas e pró-evolução. É certo que precisamos de comunhão de ideias. De entendimento entre os diferentes. Uma comunhão como iguais dentro de nossas semelhanças.

Contudo, precisamos de contrapontos ao modelo vigente. Às teorias; Aos teoremas; Às fórmulas prontas. Mesmo sabendo que uma dose comportamento padrão, e obediência a regras e limites, também é fator diferencial no desenvolvimento social. No entanto, é válido fugir da regra em alguns casos. Desde que pelo bem comum.

Novas alternativas; Novos caminhos; Novas possibilidades. As transformações só ocorrem quando alguém ousa propor algo diferente. Ousa pensar de modo alternativo. Ousa criar algo novo. E isto só se torna possível se ouvirmos o que, aqueles que pensam de modo distinto, têm a dizer. Por mais absurdo que os conceitos possam ser em primeira vista, precisamos ouvi-los.

Sabemos que algumas formas alternativas de desdobrar ideias e soluções, chocam em um primeiro momento. E muitas vezes são contestadas por aqueles que detém a hegemonia. Seja no mundo científico, político ou filosófico. Assim como nos negócios e empreendimentos. Aliás, a multidisciplinaridade propõem-nos o diálogo construtivo entre as mais distintas áreas. 

Está na hora de ouvir as massas. Esta na hora de presta atenção naqueles que ousam contestar as ideias e os modelos vigentes. O que tem a dizer ? O que propõem ? De que foram isto ou aquilo pode ser considerado novo, alternativo ou propício ? Só assim teremos acesso a outras formas de perceber o mundo, em um contexto onde a democracia e a liberdade de expressão nos permitem consolidar a realização deste sonho.

Novas formas de governo; Novas formas de interação; Novas formas de construção do conhecimento. Precisamos abrir espaço ao novo. Conceber oportunidades à construção de novas formas de viver neste terceiro milênio. Debater novas possibilidades e contestar de forma consciente o hegemônico e o hierárquico, sob uma perspectiva de igualdade e descentralização do poder. A hora é agora meus amigos. Sejamos receptivos ao novo.

J.P.D.

terça-feira, 13 de agosto de 2013

O surgimento do novo


No mundo do conhecimento, costumamos dizer que todo novo conhecimento parte de um conhecimento anterior que o precede. Este velho conhecimento, a ser explorado e expandido, é transmitido pelo saber popular através das narrativas, registros e memórias. Desta forma o novo seria então apenas uma recriação do velho. Contudo, esta é uma forma viciada e limitada de pensar o novo. Sendo que o novo pode partir de si mesmo ou até mesmo do nada.

É natural que todo 'terráqueo' acredite que só seria possível chegar a algum lugar, partindo de outro lugar. Muitos cientistas e filósofos antigos diriam que, de outra forma, se partiria do nada a lugar nenhum. Neste contexto, o homem formulou o conceito de 'Deus' a fim de tentar explicar tudo aquilo que não entendia. Pois lhe parecia inconcebível a ideia do tudo ter surgido do nada. Assim sendo, conforme as religiões, Deus precede, permanece e sucede em tudo, e a tudo, o que existe.

Apesar de acreditar em Deus como aquele que me permite estar aqui agora falando estas coisas, com amor e respeito ao poder superior; Vamos focar no viés científico e filosófico. É certo que a definição de suceder ou preceder só existe pelo fato de que o homem formulou o conceito de tempo partindo de referenciais, como a duração dos dias, das estações, assim como dos ciclos lunares, solares e terrestres. Peço que nos permitamos imaginar que o ontem e o amanhã coexistem no hoje. E que o passado e o futuro, não apenas se encontram, mas ocorrem simultaneamente no presente.

Fugindo um pouco da viagem filosófica, e viajando mais além ao mesmo tempo, podemos dizer que pensar na evolução do conhecimento como uma sucessão em linha reta seria eliminar, de algum modo, todas as outras formas de avanço em um contexto de expansão multidimensional. Convergências, divergências, ciclos circulares e elípticos, assim como as expirais, são algumas dentre as formas possíveis de ordenar a evolução do conhecimento.

É natural que algumas perguntas sejam mais difíceis de responder. E que algumas teorias só possam ser comprovadas com o tempo. Mas precisamos conceber novas formas de pensar o novo. O novo é mais do que tudo o quanto possa surgir do velho. É mais do que mero avanço sequencial, negação ou aceitação. É mais do que mera evolução. É criação que se distingue da recriação, por não depender da desconstrução e reconstrução de algo em sua materialização.

Precisamos, além de aceitar, incorporar no cotidiano os métodos que possibilitam a criação dos novos conhecimentos a partir de experiências empíricas, ao invés de partirem viciosamente apenas de velhos conhecimentos. Precisamos superar esta dependência do outro. apesar do diálogo ser inteligente e necessário. É certo que as duas formas de criação do conhecimento são bem vindas. Contudo, é certo também que a autenticidade é livre de influencias precedentes.

Sente sentido, segue sendo interessante nos abastecermos de toda forma de conhecimento existente no mundo. Porém, estando sempre atento aos insights que o mundo nos oferece. A observação participativa livre de qualquer influência. Na certeza de que na multidisciplinaridade,  a ciência e a filosofia são aliadas na empreitada de trazer o desconhecido ao conhecimento de todos.

J.P.D.

segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Por prazer - Vale a pena !


Hoje estava fazendo academia, o instrutor veio até mim e corrigiu a forma como estava fazendo os exercícios. Prestei atenção em sua recomendação e tentei corrigir conforme instruído. Após o treino expliquei ao personal que treino por prazer e contei-lhe uma história rápida sobre meu histórico de treinos de musculação.

Faço academia há mais de quinze anos. Dos dezesseis aos vinte e dois anos, fazia um treino regrado além de jogar basquete no time da escola, nadar, fazer trilhas de bike, capoeira e corridas. Estava no auge de minha forma física. Com o passar dos anos, dos vinte e dois aos trinta e um, outras atividades, como festas, namoros, trabalhos, estudos e saídas noturnas, ocuparam o espaço que antes dedicava aos treinos.

O fato é que tive um alto ganho de peso naquele intervalo de tempo. Acabava deixando de ir treinar quando pensava no treino do dia. 'Báh, hoje é dia de supino inclinado...'; 'Báhhoje é dia de agachamento...'; Assim, hesitava e acabava deixando de malhar quando pensava nos aparelhos que não estava a fim de fazer no dia.

Há pouco mais de um ano, resolvi mudar a tática. Me propus a ir e fazer o que estiver a fim. Com a finalidade de me ocupar com algo construtivo. Jamais colocando o ganho de massa muscular ou a queima de calorias em primeiro planos, mas sim como uma consequência lucrativa caso aconteça. O que faço é colocar o prazer em primeiro lugar. E isso tem me motivado a malhar diariamente. 

Sei que este não é o ideal. Nem o recomendado. E que estaria errado de acordo com muitos personais. Mas, pra mim, o que importa é ir todo dia e ter prazer durante em treinar. Se você entrar no meu Facebook agora, verá que estou fora de forma. Um tanto acima do peso. Ou seja, qualquer um poderia dizer que meu treino não estaria funcionado, se o objetivo fosse apenas a redução do peso ou ganho de massa magra. é certo que por um lado existe esta meta. Contudo, o principal objetivo é o bem estar e a ocupação de parte dos meus dias com uma atividade saudável, prazerosa e construtiva. 

Quando digo prazerosa, quero dizer que treinar tem de ser algo gostoso de fazer. O mesmo vale ao trabalho, aos estudos, leituras, viagens e demais atividades que realizamos no dia-a-dia. Em relação à academia, posso dizer que apesar de efeitos físicos serem mínimos a olho nu, tem me ajudado e controlar o humor, reduzir o consumo de álcool,, controlar a alimentação e dormir um sono mais tranquilo. Além de outros benefícios como a abstinência do tabaco há mais de ano.

De fato, é mais gostoso fazer aquilo que estamos a fim, do modo como gostamos. Tenho certeza de que, se quiser melhorar a forma e condicionamento físico, além do quanto venho melhorando, terei sim de seguir as instruções dos personais. Contudo, o simples fato de estar me ocupando de forma positiva (com prazer e motivação) prova que, por mais loucos que sejam, meus treinos vêm valendo a pena.

J.P.D.

domingo, 11 de agosto de 2013

Dica de mestre


Precisamos ter mais cuidado, e ser mais seletivos, em relação ao que postamos nas mídias sociais. Sabemos que as boas energias se multiplicam de forma viral. Uma foto sorrindo produz um sorriso em que a vê. Uma frase motivacional produz motivação na grande maioria das pessoas que a lê. O otimismo de uma esperança confidenciada gera mais otimismo.

Conselhos positivos e bons exemplos compartilhados produzem o desejo de segui-los. Tanto naqueles que os recebem quanto naqueles que os compartilham. Assim sendo, se quisermos multiplicar as coisas boas que existem no mundo, compartilhemos coisas boas. 

Da mesma forma, a linguagem utilizada produz impactos e consequências relativas. Usar palavras suaves; Como dizer: Bom dia, por favor, com licença, desculpe e obrigado, é uma forma de produzir gentileza e simpatia. E como dizia um velho sábio das ruas cariocas: 'Gentileza gera gentileza'.

Neste sentido, tomemos cuidado em relação ao que compartilhamos nos sites de redes sociais. Cada texto e foto publicada; Cada imagem compartilhada produz um efeito consecutivo a ser multiplicado entre a massa de internautas conectados. 

Do mesmo modo, sejamos mais cordiais, educados, tolerantes e compreensivos em relação às outras pessoas. Seja nas interações mediadas ou nas relações face-a-face. Produzir um mundo melhor é algo que está ao nosso alcance. E que pode se tornar realidade a partir da soma de pequenas ações no dia-a-dia. Façamos a nossa parte.

J.P.D.

sábado, 10 de agosto de 2013

O ser complexo


Na caminhada cotidiana os homens buscam referenciais a fim de moldar a personalidade e nortear a jornada. Neste contexto, incorporamos aquilo que percebemos nas outras pessoas. Nos apropriamos de linguagens, gestos, ideias e vocabulários. Incorporando parte das características que compõem a identidade daqueles que admiramos. 

Quando incorporamos parte daquilo que percebemos no outro, ou pensamos a seu respeito, inserimos este 'eu' imaginário na coletividade de nosso ser. A partir deste momento, cada 'eu' incorporado começa a fazer parte e participar do diálogo interno de cada indivíduo.

Esta comunhão e intercâmbio ocorre quando oferecemos ao mundo parte daquilo que desenvolvemos em nós mesmos, e colhemos pra nós aquilo que percebemos no mundo. Tudo ocorre a partir da legitimação de características individuais passíveis de incorporação coletiva. Da mesma forma, colhemos do ambiente múltiplas individualidades conforme percebemos o 'eu' de cada um.

De algum modo, o ser complexo é composto de uma infinidade de 'eus'. Cada um destes ‘eus’ participa de forma ativa no diálogo interno à consciência. Disciplinando a razão e influenciando as escolhas de cada indivíduo.

Todo este processo ocorre, ora de forma intencional e matemática, ora de forma involuntária. O certo é que sentimos em nós mesmos aquilo que percebemos nos outros. E temos a tendência de nos apropriar das características as quais admiramos quando estas são passíveis de ser incorporadas pelo ser complexo.

Podemos dizer que este processo é uma forma de comunhão construída. Sabemos que algumas características são únicas e próprias de cada ser, a medida em que são definidas pelas experiências e vivências que o indivíduo têm no caminho. Outras características são genéricas, coletivas e universais, sendo assim passíveis de incorporação.

Toda vez que compartilhamos pensamentos e sentimentos com outras pessoas, participamos ativamente do intercâmbio subjetivo. Este intercâmbio transcende a interação interpessoal, podendo também ser expandido à interação dos homens com a natureza e o universo como um todo.

Muitas vezes o imaginário possibilita uma confusão entre os elementos. Durante muitos séculos, os homens costumavam confundir as paixões e visualizações mentalizadas com elementos da natureza tais como a luz da lua, as estrelas e outros astros. O fato é que as imagens confundem os sentidos. 

Neste contexto, é necessário que saibamos distinguir aquilo que visualizamos, sentimos e imaginamos, daquilo que realmente é.  Boa parte das percepções é mero ilusionismo e confusão perceptiva. O certo é que o ser complexo não pode ser definido por um único 'eu' uma vez em que se legitima como um conjunto de 'eus'. Cada 'eu' é dotado características particulares, compondo assim uma complexidade singular e plural ao mesmo tempo. 

Apesar de todos os possíveis erros interpretativos entre a realidade e a imaginação, a apropriação e intercâmbio de características subjetivas ocorre a todo momento quando há sintonia, afinidade e vivência comum. Da mesma forma, procede naturalmente sempre que a percepção define alguém como igual, diferente ou semelhante. 

J.P.D.

sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Poder Criativo


O imaginário nos permite transformar a realidade. Indo além do usual no desenvolvimento e na produção. Viajando em pensamento através das experiências sensoriais. Encontrando novas soluções aos enigmas cotidianos comuns. Novas alternativas surgem quando experimentamos pensar diferente do habitual. Descobrindo novos caminhos. Superando limites, extrapolando fronteiras e expandindo possibilidades. 

É possível reinventar-se a cada fase da vida. Reencontrando-se a cada momento. Como ser espiritual, físico e psicológico. No intelecto do conhecimento e na magia da sabedoria. Renovando os votos cotidianamente. Somos capazes de alcançar tudo o quanto imaginamos se entendemos o segredo. Tudo é possível quando compreendemos e respeitamos as leis do universo. Acredite. Somos responsáveis pelo nosso destino.

J.P.D.

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Este é o caminho


A razão proporciona ao homem a capacidade de discernir sobre a verdade e tomar as decisões apropriadas. O despertar da consciência, quando alcançado através da aprendizagem empírica, é uma oportunidade real de conhecer o mundo na prática em uma caminhada diária de autoconhecimento. Nos permitindo viver com sabedoria, sempre que aplicamos tal conhecimento na jornada.

Ser determinado em relação aos objetivos é necessário e obrigatório ao ser consciente. Ser e fazer aquilo que defendemos, aconselhamos e acreditamos. Compartilhando com a sociedade os caminhos conhecidos. Oportunizando assim que outras pessoas alcancem o desenvolvimento, a superação, a libertação e a salvação.

Precisamos multiplicar tudo o que recebemos do universo somando esforços e nos movimentando no sentido do bem comum. Auxiliando aqueles que, como nós, acreditam neste caminho. Um caminho de fraternidade, igualdade e humanidade. Um caminho de inclusão, união e colaboração. Um caminho de paz, ordem e progresso.

J.P.D.

quarta-feira, 7 de agosto de 2013

Neste sentido


Ouvimos, corriqueiramente, falar sobre a importância do pensamento positivo na realização dos sonhos. Pois o pensamento gera atitude. E a atitude produz realidade. O poder da fé é conhecido como operador de milagres. Capaz de transpor obstáculos e prosperar frente aos mais difíceis desafios. Contudo, é preciso, além da confiança e do otimismo, entender e respeitar as leis do universo.

O poder da mente, quando colocado em prática, é capaz de transformar os homens. Porém, o temor às leis regentes da natureza e ao poder superior que orienta e disciplina a consciência, é um dom necessário e tão supremo quanto a capacidade de confiar e acreditar em si e nos próprios empreendimentos. Existem leis universais que regem este mundo. Somos retribuídos em cada desejo, sentimento e intenção. Até mesmo nossos pensamentos e emoções são monitorados minuciosamente.

A sabedoria vem após o entendimento. E só existe quando colocamos este entendimento em prática. Obedecer e se submeter às leis do universo é sinal de consciência. Respeitando cada ser vivo deste planeta como igual perante as forças maiores, mesmo quando dotado de diferenças dentro do contexto da semelhança. Acreditando em si, respeitando o próximo e seguindo o caminho do bem, haveremos de obter a recompensa perante o contexto da ação e reação. Mantenha-mo-nos neste sentido.

J.P.D.

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Imortal enquanto único


Há algum tempo iniciei um processo de recriação na busca do desenvolvimento. Percebi, em mim mesmo, algumas caraterísticas particulares, singulares e universais. Dentre elas, algumas que podem ser compartilhadas e facilmente incorporadas por outras pessoas. Propus-me a observar então, as particularidades e singularidades de outras pessoas. Assim, analisando alguns cases, percebi que há características singulares em cada ser. E que são estas características que definem o que chamamos de subjetividades diferenciadas.

São estas subjetividades únicas que movem o mundo a partir de seus exemplos de ser e estar no mundo. O caminho do desenvolvimento pessoal, da superação, da cura e da libertação, serve como modelo a outras pessoas. Muito, das características destas pessoas diferenciadas, pode ser incorporado por outras pessoas. Mas, o que as faz diferenciadas são as características que as fazem únicas, ou as colocam em uma porcentagem rara dentre as exceções. 

Neste caso entram as crianças que aprendem a ler ou a caminhar antes da idade normal média; Empreendedores que alcançam sucesso precoce ou além da média estimada; Esportistas que superaram deficiências; Pessoas que se curaram de problemas de saúde física, química ou psicológica. Indivíduos que se desenvolvem em meio às adversidades e prosperaram mesmo quando há excesso de desafios; Entre outras conquistas não tão comuns nas estatísticas da grande massa na sociedade.

Estes indivíduos são capazes de conquistar demasiados resultados positivos e contabilizar façanhas pelo fato de virem trabalhando as qualidades singulares que os diferenciam das outras pessoas. Mesmo com algo que os faz únicos, a grande maioria incorpora e desenvolve qualidades encontradas no coletivo. Estas caraterísticas, quando trabalhadas, recebem um toque especial e são retribuídas  sociedade para que outras pessoas também possam fazer à magia da recriação.

Se de um lado a banalização e generalização das particularidades desconstrói aquilo que chamamos de único e diferenciado, de outro lado, a recriação fluídica e a incorporação constate de novos elementos possibilita que tais individualidades, objetivas e subjetivas, perpetuem-se como singulares, diferenciadas e únicas. Neste contexto, emerge a importância da lapidação das singularidades, do compartilhamento de características incorporáveis, da absorção de novas particularidades e generalidades do coletivo, na recriação constante do ser. É esta recriação que possibilita o desenvolvimento da individualidade como algo singular e subjetivamente imortal enquanto único.

J.P.D.

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Configurando Network


Ao andar pelas ruas da cidade percebo o quanto as pessoas estão cada vez mais conectadas. O contato pessoal, por telefone, torpedo e internet móvel está presente em todos os lugares. Nas praças, shoppings e calçadas. Conhecemos pessoas todos os dias. Algumas que nunca mais iremos ver pessoalmente. E mesmo assim, anotamos números de celular e contatos virtuais. Em meio a toda esta multidão conectada, sinto a necessidade de formatar uma lista de contatos.

Esta olhando minha lista do Facebook e percebi que ali havia pessoas as quais não conheço pessoalmente. Pessoas que encontrei uma única vez e resolvi salvar os contatos. Pessoas que me adicionaram pelo simples fato de termos trocado algumas mensagens em uma sala de bate papo ou rede social pró-relacionamentos e termos sentido alguma afinidade, por vezes, passageira. Então refleti sobre o procedimento correto na hora de adicionar ou aceitar alguém em minha lista de contatos. Salvar um número de telefone. Ou fornecer contatos como e-mail e perfil de mídias sociais.

Hoje em dia vivemos em um mundo que supervaloriza qualidade e quantidade. E pensando sobre estes dois fatores, em relação a uma lista de contatos, percebi que a qualidade do network é um diferencial que transcende, em alguns casos, a importância da quantidade de contatos. É certo que os dois fatores são importantes, ainda mais quando estamos no mercado disputando clientes e parcerias. Mas sejamos racionais nesta reflexão.

Imaginemos duas situações referentes à lista de contatos de um homem solteiro que busca companhia pra curtir o fim de semana. No primeiro caso o indivíduo tem uma dúzia de conhecidas na lista de contatos. Algumas moram longe, outras são casadas, há aquelas que não tem afinidade nenhuma, são comprometidas ou se ocupam todo fim de semana com outras atividades. Diríamos que esta lista de contatos, apesar de numerosa, deixa a desejar na eficiência. Na segunda situação, imaginemos o mesmo jovem com apenas um contato. A pessoa certa que mora perto, está disponível, tem afinidades e gosta de sua companhia. Neste caso a qualidade do network supera em eficiência a quantidade.

O mesmo poderíamos dizer em relação a uma empresa que contrata vinte funcionários os quais desconhecem as soluções ideais à demanda do negócio. Em outra situação, a mesma empresa contrata três pessoas que dominam o assunto e sabem o que fazer. Podemos pensar ainda em relação a um time de futsal com trinta jogadores pernas-de-pau no elenco em relação a outro com dez jogadores medianos a craques. 

Assim, muitos internautas lotam os respectivos perfis nas redes sociais com pessoas as quais nada compartilha na interação, ou tampouco divide momentos reais face-a-face. Apesar de este ser um caso comum hoje em dia, percebemos o amadurecimento dos internautas em relação ao uso das redes sociais. Muitos usuários vêm aprendendo que ter um grupo seleto de amigos de convivência real é um tanto mais satisfatório do que somar contatos que nada nos acrescentam, ajudam ou compartilham.

Mesmo assim, é normal que muitos internautas continuem adicionando, em seus perfis, pessoas com as quais jamais irão trocar mensagens. E o mesmo fazem em relação aos números de um celular para os quais jamais irão ligar. E isso acontece pois ainda sobrevalorizamos a quantidade, mesmo sabendo que a qualidade nos é o diferencial mais eficiente.

J.P.D.

domingo, 4 de agosto de 2013

Corporações da Comunicação


O crescimento da produção multimídia amadora e profissional nos revela a internet como conjunto de plataformas de múltipla funcionalidade. Conhecimento, interação, entretenimento e comunicação que aproxima os internautas a partir da conexão mediada. Hábito este que vem revolucionando a indústria da comunicação de massa.

A produção amadora e profissional em redes como Flickr, Instagram, YouTube, Picasa, Blogger, Vimeo e Wordpress, mostram o crescimento da interação dos internautas com o mundo revelando e expondo o que pensam e sentem. Compartilhando suas respectivas experiências e opiniões sobre os mais distintos assuntos.

O certo é que a comunicação de massa vem absorvendo e sendo absorvida pela internet. Novos portais surgem como os grandes grupos de comunicação do futuro. Mentalizados por comunicadores, absorvem profissionais das mais distintas áreas. A internet é sim o ambiente onde surgem a cada dia os novos conglomerados da comunicação. E estes grupos sabem que só atingirão o crescimento consideravelmente qualificado quando souberem comungar, em colaboração, amadores e profissionais.

J.P.D.

sábado, 3 de agosto de 2013

Vencer a Dependência


Há algum tempo venho trabalhando um tema muito importante e polêmico. A dependência química e a recuperação de adictos é um assunto que deveria ser tratado dentro da sala de aula e das famílias, no entanto é pouco abordado devido à falta de informação, crenças conservadoras ou preconceito. O fato é que a recuperação dos jovens usuários de drogas só é possível quando colocamos as cartas na mesa e discutirmos as causas e conseqüências do uso.

Os malefícios do uso de substâncias químicas são conhecidos da grande maioria. Contudo, a fração de usuários na atualidade é assustador. Jovens são introduzidos no mundo das drogas cada vez mais cedo. Enquanto isso, os laboratórios do tráfico investem em fórmulas químicas na finalidade de criar drogas cada vez mais fortes.

Em meio a todos estes dados, ainda há ainda quem defenda a descriminalização de drogas como a maconha. O principal argumento dos favoráveis a descriminalização, ou legalização (em alguns países), alegam que a venda ilegal favorece o tráfico. E o mesmo tráfico que comercializa a maconha, investe também no comércio de drogas mais pesadas e na criminalidade. A 'legalização', então, acabaria com a venda ilegal.

O fato é que a droga não escolhe família, crença ou classe social. Geralmente, apresentada por amigos, entra na vida dos jovens, e toma parte do seu cotidiano. Ganhando forte importância frente as atividades construtivas como o esporte, os estudos, o trabalho, entre outras. E só pode ser vencida com uma mudança drástica de comportamento.

O jovem dependente necessita primeiramente do desejo de parar de usar. Precisa querer. E além de querer, precisa estar disposto a deixar pra trás amigos, hábitos e lugares do tempo de adicção ativa. É importante que toda a família se mobilize na recuperação do usuário. Também é preciso entender que os adictos têm maiores chances de vencer a dependência química das drogas mais pesadas se propondo também à abstinência do álcool.

No mesmo sentido, as famílias precisam entender que estes jovens são diferenciados em relação aos demais. Sob o efeito de álcool se torna mais difícil resistir ao vício. Da mesma forma, pais precisam dar exemplo aos filhos. Evitando consumir álcool na frente daqueles os quais sentem vontade de usar outras substâncias químicas quando consomem álcool.

A mudança de atitude tem de ser total. A irmandade de Narcóticos Anônimos,  por exemplo, recomenda duas listas essenciais à recuperação. Uma delas se chama lista do 'Evite', enquanto a segunda se chama lista do 'Procure'. Estas listas auxiliam a recuperação mostrando aos jovens quais hábitos evitar e quais hábitos procurar. O certo é que a recuperação é uma escolha que está ao alcance de todos. Liberte-se !

J.P.D.

sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Dialógicos


Com o passar dos tempos, nos tornamos seres, cada vez mais, interativos. O homem aprendeu a conter o instinto animal e a discutir com o grupo na busca de soluções comuns. O diálogo surgiu então, como uma forma amigável de encontrar soluções coletivas e compartilhar ideias. Neste contexto, configurou-se homem como ser dialógico.

O diálogo é utilizado na política com a finalidade de solucionar os problemas comuns à sociedade, de um modo que atenda o maior número de interesses possíveis. Da mesma forma, as religiões utilizam o diálogo para o homem seja aproximado do poder superior. Nos mais diversos cultos coletivos, ou nos atendimentos individuais, como aconselhamentos, doutrinas, confissões, consultas, etc.

A interação é a forma com que cientistas trocam experiências e somam conhecimentos, trabalhando juntos na construção do conhecimento científico. De algum modo, podemos dizer que o diálogo é uma forma de entrarmos em comunhão com o cosmos. As religiões, assim como a ciência e a política, utilizam a comunicação dialógica com a finalidade de construir o saber comum, o consenso nas decisões coletivas e a integração entre os indivíduos.

Quando nos propomos a interagir, trabalhando juntos, temos maiores chances de alcançar objetivos e mensurar resultados. O compartilhamento de uma opinião e a multidão de conselheiros nos possibilita maiores subsídios na conquista dos resultados esperados no bom combate. Seja este combate profissional, espiritual, pessoal ou de alguma outra natureza.

De algum modo o diálogo implica uma comunicação bilateral. Só há diálogo quando os interagentes enviam e recebem mensagens. Falando e ouvindo; Escrevendo e lendo; A partir de sinais ou de suas produções midiáticas. Podemos dizer que há alguns casos em que o diálogo parece ser unilateral. Como nas artes. Porém, a medida que as mensagens são recebidas, e ajudam a formar opinião ou influenciam em decisões, tornam-se dialógicas, pelo fato de terem causado responsta.

A arte é uma forma de dialogar com o mundo. Através da arte o artista retribui aos homens a leitura particular que faz do mundo em que vive. E a interpretação dos sinais que recebe do universo. Podemos dizer que a partir de uma pintura, de um livro ou de uma composição musical, o autor dialoga com o mundo respondendo aos interagentes de acordo com as mensagens que recebe, capta e coleta no ambiente em que vive. E independente de receber resposta, configura esta comunicação como dialógica.

O fato é que existem inúmeras formas de dialogar. Se enviamos uma mensagem ao mundo, e a partir desta mensagem é produzido um efeito, retorno ou resposta, podemos dizer que esta mensagem é iniciadora de um diálogo. O certo é que a internet nos trouxe a possibilidade de nos tornarmos mais interativos em nossos diálogos com os homens e com o mundo. Podemos aqui comunicar e responder a comunicação de outros internautas.  Em um ambiente onde nos tornamos e somos, cada vez mais, seres dialógicos.

J.P.D.